A artrite é uma doença relacionada à idade

Posted on

Este conteúdo é meramente informativo, sendo o reumatologista, quem melhor pode responder a todas as suas questões sobre esta doença.

Tinha acabado de fazer 40 anos quando os primeiros sinais da doença se manifestaram. «Era melhor que não tivesse doença nenhuma mas apareceu e tenho de saber viver com ela», conta Paula Pinto. De imediato, foi obrigada a ficar seis meses em casa em repouso absoluto porque a doença a impediu de fazer praticamente tudo. E, felizmente, as pessoas que conheço com artrite reumatoide não são de se queixar muito, nem as vejo a chorar pelos cantos», sublinha. Há pessoas que têm uma única crise na vida inteira e a doença depois fica sossegada, e há artrites que reagem bem aos tratamentos. «Felizmente, antes de ficar doente viajei muito e, hoje, penso que tudo o que se pode fazer na vida deve ser feito na altura e não deve ser adiado. Não descurar o tratamento Desde que lhe foi diagnosticada a doença, Paula Pinto seguiu à risca todos os tratamentos que os médicos lhe recomendaram. E que, felizmente, financeiramente, pode permitir-se ter uma vida mais facilitada em determinados aspetos. Sem complexos nem vergonhas Há muito que soube aceitar a sua doença e não tem problema nenhum em assumir quando pode ou não fazer algo.

Artrite e artrose são a mesma doença

  • Febre;
  • Mancar;
  • Fadiga;
  • Anemia;
  • Perda de função articular;
  • Nódulos reumatoides;
  • Rubor e calor nas articulações;
  • Perda de apetite;
  • Perda de peso;
  • Perda de energia

Se começarem desde logo com os tratamentos mais agressivos, o prognóstico é melhor e a evolução da doença pode ser controlada desde o início», recomenda.

Por isso, não deixe de visitar a andar, Associação Nacional de Doentes com Artrite Reumatóide», apela também. A Artrite Reumatoide (AR) é uma doença reumática inflamatória, de causa desconhecida e de evolução crónica, que envolve primariamente as articulações. Esta evolução culmina, após 10 a 20 anos de evolução da doença, em particular nos doentes com resposta parcial aos tratamentos instituídos, em algum grau de incapacidade motora. Em Portugal, a artrite reumatoide é a doença reumática inflamatória mais prevalente, afectando cerca de 0,3 a 0,4% da população portuguesa. A artrite reumatoide pode ocorrer em qualquer idade mas é mais comum na meia-idade. O sexo do indivíduo afecta a susceptibilidade para a doença, de tal forma que esta é cerca de 2 a 3 vezes mais frequente na mulher. O quadro articular acompanha-se frequentemente, desde o início da doença, de manifestações extra-articulares, como fadiga, anorexia, perda de peso e febre baixa. Noutros casos, pode ocorrer fadiga isolada ou dor difusa não específica, acompanhada de outras manifestações extra-articulares, como doença pulmonar, durante meses antes do surgimento do quadro de poliartrite. De facto, as mãos de um doente reumático oferecem tanta informação em relação à sua doença que podem ser consideradas o seu cartão-de-visita.

Modo de encontrar mais fácil: Clique Ctrl+F e digite o nome da doença ou disfunção. Utilize as setinhas para baixo e para cima se aparecer mais de uma.

  • redução do IRS;
  • isenção de imposto automóvel;
  • redução de juros no empréstimo bancário;
  • redução do preçário em alguns títulos de transporte público;
  • dístico para estacionamento.

Quanto mais precoce for o tratamento da artrite reumatoide mais se conseguirá retardar a destruição articular.

A artrite reumatóide é uma doença inflamatória crónica que provoca dor, rigidez, aumento da temperatura e inchaço das articulações. Os objetivos mais importantes no tratamento da artrite reumatóide são a manutenção da capacidade funcional do doente, a redução da dor e a prevenção de uma futura lesão articular. A doença pode ser ligeira (20%) ou grave e progressiva e com má resposta à terapêutica (numa menor percentagem dos casos - 5%). Efeitos adversos sobre trabalho e vida social estão relacionados com a gravidade da doença e tempo de evolução e aparecem com alguma frequência. Incapacidade de trabalho pode ocorrer precocemente no curso da doença, especialmente numa pessoa com uma ocupação manual. A adaptação à doença pode ser difícil. Podem ocorrer complicações infecciosas tanto pela doença como pelos tratamentos. A artrite reumatóide não é uma doença contagiosa. As lesões cutâneas que por vezes surgem no curso da doença (nódulos reumatóides, vasculite) também não se transmitem de pessoa a pessoa pelo contacto directo.

Manifestações tardias podem ocorrer: artrite, cardiopatia, doença neurológica, paralisia de pares cranianos, meningite asséptica.

  • National Center for Biotechnology Information, U.S. National Library of Medicine
  • Medscape Reference (http://emedicine.medscape.com)
  • Sociedade Portuguesa de Reumatologia

A artrite reumatóide é uma doença inflamatória crónica de natureza autoimune, com um potencial de danos irreversíveis nas articulações.

Depois de afetar mãos e punhos de modo simétrico, a doença pode evoluir para os pés e grandes articulações. Mais tarde, também pode atingir outras estruturas e sistemas, como pulmões, sistema cardiovascular, pele e olhos. A artrite reumatoide é uma doença autoimune que causa inflamação crónica das articulações. As pequenas articulações das mãos e pés são geralmente as mais afetadas, mas a artrite reumatoide também pode afetar outros órgãos como os olhos, pele, pulmões, coração e vasos sanguíneos. No seu código genético podem estar presentes determinados genes que o tornam mais suscetível a fatores ambientais – como certos vírus e bactérias – que podem desencadear posteriormente a doença. Os sinais e sintomas da artrite reumatoide podem variar de gravidade, podendo existir períodos de aumento da atividade da doença alternados com períodos de remissão relativa. A rigidez na artrite reumatoide geralmente é mais severa durante a manhã, podendo durar uma ou duas horas (ou mesmo durante todo o dia). A rigidez prolongada pela manhã representa uma pista de que poderá sofrer desta doença, pois isso não é comum noutras condições, como por exemplo na osteoartrose. Os sintomas precoces da artrite reumatoide podem ser subtis.

A artrite reumatoide, também chamada de Poliartrite crônica evolutiva, é uma doença sistémica crónica, mas que envolve principalmente as articulações.

Outros sintomas da artrite reumatoide podem incluir: Não existe cura para a artrite reumatoide.

Dessa forma, a artrite reumatoide apresenta um melhor prognóstico quando diagnosticada precocemente, pois é possível iniciar de imediato o tratamento mais adequado. O tratamento é igualmente personalizado tendo em conta alguns fatores, como a atividade da doença, as articulações envolvidas, a saúde geral, idade e ocupação. É importante ser fisicamente ativo na maioria das vezes, mas saiba dosear o nível de atividade, sobretudo quando a doença se encontra mais ativa. O Tai-Chi é uma terapia alternativa que pode ajudá-lo a gerir esta doença, pois envolve exercícios suaves e alongamentos combinados com uma respiração profunda. Descobrir que tem uma doença crónica também pode deixá-lo psicologicamente enfraquecido, com sentimentos depressivos ou de isolamento. A artrite reumatoide é uma doença inflamatória que faz com que o sistema imunológico ataque por engano os tecidos saudáveis do próprio corpo (ou seja, trata-se de uma doença autoimune). A artrite reumatoide é uma doença autoimune, sem causas específicas conhecidas. Outros sintomas envolvidos são: O exame clínico é o principal meio de diagnóstico, embora alguns exames e análises possam ajudar a confirmar a doença ou a descartar outras patologias. Dispõe de uma consulta inovadora para grávidas com doença reumática, de consultas de osteoporose, artrite na criança, lúpus, Espondilite e Artrite Reumatoide.

Ao longo do tempo, a artrite reumatoide também pode envolver outros órgãos e sistemas, como pele, olhos, pulmões, coração , vasos sanguíneos e rins .

Reumatologia A Artrite Reumatóide (AR) é uma doença crónica, inflamatória, auto-imune que se caracteriza pela inflamação das articulações e que pode conduzir à destruição do tecido articular e periarticular.

Nos últimos anos, houve uma melhoria substancial no tratamento desta doença. Por um lado, verificou-se uma melhoria nas estratégias de tratamento com uso mais eficaz dos medicamentos modificadores de doença já existentes, e por outro surgiram novos medicamentos. A supressão da inflamação nos estágios iniciais da doença, ou seja o tratamento precoce, pode resultar em melhoria substancial do prognóstico a longo prazo. O pico de incidência nas mulheres é após a menopausa, mas pessoas de todas as idades podem desenvolver a doença, incluindo adolescentes. A artrite reumatóide não é uma doença infecciosa nem uma doença contagiosa. A artrite reumatóide evolui por surtos mais ou menos longos e de intensidade variável, intervalado com remissões. A presença de artrite (inflamação nas articulações) é uma característica fundamental da doença. Frequentemente, a doença começa como uma poliartrite simétrica (mais de 4 articulações inchadas e dolorosas, nos dois lados do corpo). À medida que a doença progride, mais articulações podem inflamar, incluindo ombros, cotovelos, ancas e joelhos.

Artrite séptica, Pseudogota, Periartrite calcificada por apatita, Artrite reumatóide, Artrite reativa, Artrite psoriásica e Enteroartropatia

Nomeadamente quando tem um início súbito ou surge como uma doença mais sistémica, com perda de peso, febre e fadiga e poucas manifestações articulares.

Outras vezes, os doentes começam por apresentar inflamação articular de grandes articulações (joelho, cotovelo) e só mais tarde desenvolvem artrite das mãos.