A Artrite Reumatoide é uma doença crônica (Parte 2)

Posted on

A artrite reumatoide é uma doença autoimune crônica que afeta, na maioria das vezes, as pequenas articulações das mãos e dos pés.

A artrite reumatóide é uma doença inflamatória crónica que provoca dor, rigidez, aumento da temperatura e inchaço das articulações. Tanto que há expressa menção legal que não será considerada doença do trabalho a que não produza incapacidade laborativa”. Exemplo é a doença adquirida pelo mineiro em razão do exercício de sua profissão. Na doença profissional, há presunção juris et de jure de relação com o trabalho, não se admitindo prova em contrário. Existe, portanto, presunção absoluta de nexo causal entre a atividade e a doença. Sinteticamente, pode-se afirmar que doença profissional é aquela típica de determinada profissão.”[8] Doença do trabalho, nos termos do disposto no art. Sérgio Pinto Martins preceitua a respeito das doenças do trabalho: A doença do trabalho é o gênero do qual a doença profissional é espécie. A síndrome foi alvo de estudo desde 1700, quando Bernardo Ramazzini, considerado o pai da Medicina do Trabalho, descreveu-a como “doença dos escribas e notários”. Será considerado incapaz para o trabalho aquele que apresenta impossibilidade de desempenhar os misteres próprios do cargo em decorrência da doença.

A artrite reumatoide, também chamada de Poliartrite crônica evolutiva, é uma doença sistémica crónica, mas que envolve principalmente as articulações.

  • Lei Complementar nº 24, de 07/01/1975.
  • Convênio ICMS nº 03/2007 (Conselho Nacional de Política Fazendária/Ministério da Fazenda).
  • Ato Declaratório nº 04, de 07/02/2007.

Acessos: 4216 Artrite reumatoide é uma doença crônica das articulações (juntas).

Tratamento: O tratamento é medicamentoso e vai variar de acordo com o estágio da doença, sua atividade e gravidade. A Artrite Reumatoide (AR) é uma doença reumática inflamatória, de causa desconhecida e de evolução crónica, que envolve primariamente as articulações. Em Portugal, a artrite reumatoide é a doença reumática inflamatória mais prevalente, afectando cerca de 0,3 a 0,4% da população portuguesa. O sexo do indivíduo afecta a susceptibilidade para a doença, de tal forma que esta é cerca de 2 a 3 vezes mais frequente na mulher. Noutros casos, pode ocorrer fadiga isolada ou dor difusa não específica, acompanhada de outras manifestações extra-articulares, como doença pulmonar, durante meses antes do surgimento do quadro de poliartrite. De facto, as mãos de um doente reumático oferecem tanta informação em relação à sua doença que podem ser consideradas o seu cartão-de-visita. Foi também observado em estudos científicos um risco aumentado de doença em ex-fumadores sem hábitos há mais de 10 anos. Há outras causas e fatores de risco da doença possivelmente associados à AR (infeções, obesidade, exposição ocupacional óleos minerais, entre outros) cuja influência ainda permanece por comprovar. 21-A na Lei 8.21391, passamos a ter uma terceira espécie de doença ocupacional, qual seja, aquela decorrente de Nexo Técnico Epidemiológico (NTEP).

Artrite canina: entenda a doença, sintomas, diagnóstico e tratamento. Saiba como a fisioterapia veterinária é importantíssima na recuperação da artrite canina

  • redução do IRS;
  • isenção de imposto automóvel;
  • redução de juros no empréstimo bancário;
  • redução do preçário em alguns títulos de transporte público;
  • dístico para estacionamento.

Não se conhecem as causas da doença, mas pode manifestar-se em ambos os sexos e em qualquer idade.. .

Quanto mais cedo for diagnosticada a doença e iniciado o tratamento, melhor será o prognóstico. A artrite reumatoide caracteriza-se como doença degenerativa, auto-imune e progressiva, de etiologia desconhecida. Só configurará concausa se a circunstância em exame constituir, em conjunto com o fator trabalho, o motivo determinante da doença ocupacional ou do acidente do trabalho. Sebastião Geraldo de Indenizações por acidente de Trabalho ou Doença Ocupacional. O benefício não é concedido pela presença de doença em tratamento, se a mesma não for incapacitante às suas atividades. As inflamatórias, quando entram em remissão, podem deixar alguns pacientes com perfeitas condições físicas, como se nunca tivessem tido a doença. Ainda, algumas poucas vezes, a doença tem uma resposta ruim ao tratamento, gerando uma incapacidade prolongada ou definitiva. O que não é aceito pelo INSS é o início do pagamento depois de estar incapacitado pela doença. À medida que a doença vai progredindo, a dor, a destruição articular e a perda de movimentos podem diminuir a capacidade funcional e comprometer a qualidade de vida.

  • Lei nº 8.383, de 30/12/1991 – art. 72, IV, §§ 1º e 3º.

A artrose é a doença mais frequente e continuará a aumentar, dada a sua associação ao envelhecimento.

O tratamento da osteoartrose é muito variado e visa, sobretudo, educar o doente, aliviar os sintomas, minimizar a incapacidade e evitar a progressão da doença. A artrite reumatóide não é uma doença infecciosa nem uma doença contagiosa. Doenças do aparelho digestivo (erosão dentária; alterações pós-eruptivas da cor dos tecidos dos dentes; gengivite crônica; gastroenterite e colite tóxicas; cólica do chumbo; doença hepática tóxica; hipertensão portal). Doenças do sistema gênito-urinário (síndrome nefrítica aguda; doença glomerular crônica; nefropatia induzida por metais pesados; insuficiência renal aguda e crônica; cistite aguda; infertilidade masculina). Se a pessoa já tem artrite reumatoide, encontrará certa dificuldade para digitar porque a mão vai se deformando com a doença. “Especialmente, nas pessoas com mais idade, essa doença provoca deformidades nas articulações e as mãos adquirem características típicas do reumatismo. Como a artrite reumatóide é uma doença grave, progressiva e incapacitante, para requerer o benefício por incapacidade é preciso marcar uma perícia médica no INSS”. Grande parte das vezes, a doença é discreta, mas não há mais músculos para andar. Estamos confiantes nas novas pesquisas, pois, cada vez mais, estamos chegando mais perto dos genes responsáveis pelo aparecimento da doença.

“Quem hoje sofra de doença de Huntington, de fibromialgia, de artrite reumatóide, de doenças mentais graves ou outras, mesmo que esteja incapacitado, não tem direito a esta protecção.

A doença pode ser ligeira (20%) ou grave e progressiva e com má resposta à terapêutica (numa menor percentagem dos casos - 5%). Efeitos adversos sobre trabalho e vida social estão relacionados com a gravidade da doença e tempo de evolução e aparecem com alguma frequência. Incapacidade de trabalho pode ocorrer precocemente no curso da doença, especialmente numa pessoa com uma ocupação manual. A artrite reumatóide não é uma doença contagiosa. As lesões cutâneas que por vezes surgem no curso da doença (nódulos reumatóides, vasculite) também não se transmitem de pessoa a pessoa pelo contacto directo. A artrite reumatoide é uma doença autoimune que causa inflamação crónica das articulações. As pequenas articulações das mãos e pés são geralmente as mais afetadas, mas a artrite reumatoide também pode afetar outros órgãos como os olhos, pele, pulmões, coração e vasos sanguíneos. No seu código genético podem estar presentes determinados genes que o tornam mais suscetível a fatores ambientais – como certos vírus e bactérias – que podem desencadear posteriormente a doença. Os sinais e sintomas da artrite reumatoide podem variar de gravidade, podendo existir períodos de aumento da atividade da doença alternados com períodos de remissão relativa. A rigidez prolongada pela manhã representa uma pista de que poderá sofrer desta doença, pois isso não é comum noutras condições, como por exemplo na osteoartrose. O tratamento é igualmente personalizado tendo em conta alguns fatores, como a atividade da doença, as articulações envolvidas, a saúde geral, idade e ocupação. É importante ser fisicamente ativo na maioria das vezes, mas saiba dosear o nível de atividade, sobretudo quando a doença se encontra mais ativa. Descobrir que tem uma doença crónica também pode deixá-lo psicologicamente enfraquecido, com sentimentos depressivos ou de isolamento. A data foi instituída, em 1999, pelo Ministério da Saúde tendo em conta o elevado número de pessoas que, em Portugal, padecem da doença. Ainda, em discussão constam temas como a osteoporose associada à artrite reumatoide, gestão, diagnóstico e evolução da doença, intervenção da terapeuta ocupacional e orientação da fisiatria. A artrite reumatoide é uma doença reumática inflamatória crónica de etiologia desconhecida. Quando não tratada precoce e corretamente, a artrite reumatoide acarreta, em geral, graves consequências para os doentes, traduzidas em incapacidade funcional e para o trabalho.